Poli Metropolitana realiza quase 16 mil procedimentos "Pós-Covid" e "Pré-Operatório Rápido"

26/04/2021 19h57
Por Carol Menezes (SECOM)

A Policlínica Metropolitana completa hoje, 26, uma semana atendendo somente demandas dos programas "Pré-Operatório Rápido" e "Pós-Covid" com a marca de 15.850 procedimentos realizados e 1.127 atendimentos, dentre pacientes novos e previamente agendados, desde o dia 19 de abril, data em que oficialmente o complexo iniciou a retomada de seu perfil original de funcionamento. A alta do número de infecções pelo novo coronavírus fez com que a unidade se voltasse exclusivamente a casos da doença entre 6 de março e 16 deste mês. A partir de 3 de maio, voltam a ser ofertados também os demais serviços, incluindo consultas e exames médicos voltados a 20 especialidades.

Até o dia 30 de abril, serão disponibilizados 600 atendimentos por dia para pacientes "Pós-Covid", e 50 atendimentos diários para o "Pré-Operatório Rápido". Toda a família da paciente Elizabeth Campelo já utilizou algum tipo de atendimento ofertado pela Poli Metropolitana. Hoje, foi a vez dela de concluir o cronograma de pré-operatório exigido para uma histerectomia.

Agilidade - "Me consultei com um cardiologista e fui muito bem atendida, desde a recepção, com as psicólogas, assistentes sociais. Estou correndo atrás desses exames há meses e não conseguia, mas pela Policlínica eu estou resolvendo tudo. Cheguei a me emocionar no consultório, porque a médica foi muito atenciosa, e é isso que a gente procura quando busca esse atendimento: ser bem amparada pelos médicos", elogiou.

"Na minha família já teve quem veio para exames de ginecologia, pediatria, clínico geral, ortopedia, exames que pelo Sistema Único de Saúde (SUS chegam) a demorar até um ano. Pela Policlínica consegui fazer em três meses", relatou a paciente, que agora segue para a marcação da data da cirurgia na rede pública.

Reabilitação - Um dos médicos que faz parte da força-tarefa que se uniu para dar conta dessa demanda reprimida durante o momento em que a Policlínica precisou ser restrita, Davi Rolim, confirma uma quantidade bastante significativa de pacientes atendidos nesse retorno. "Estamos conseguindo estabilizar o número de atendimentos e a partir de maio voltaremos a funcionar normalmente, como funcionava antes de 6 de março", reforça. Quem passou esses 40 dias sem poder buscar a Policlínica Metropolitana, segundo o profissional, não apresentou agravamento no quadro de saúde, até o momento.

"Os sintomas, de um modo geral, no pós-covid são sempre semelhantes, então não vejo piora, embora ainda seja cedo para dizer, mesmo em pacientes que apresentaram a forma mais grave da doença, envolvendo novas variantes", analisa o médico.

O que Davi Rolim considera fundamental e altamente recomendável é buscar ajuda diante de sequelas que atrapalham o andamento do dia a dia da pessoa. "É preciso procurar tratamento se permanecer a alteração no olfato ou paladar, dor de cabeça, dores articulares, ou se for o caso de ter uma doença de base que piorou depois da covid, como é o caso de hipertensos, diabéticos, por exemplo. Por esse acompanhamento a gente pode restabelecer a qualidade de vida dessas pessoas", justifica.

Limpeza "terminal" - De acordo com o diretor técnico da Policlínica Metropolitana, Luiz Fausto, nos dias 17 e 18 de abril foi realizado um processo profundo e minucioso de higienização e desinfecção de todo o prédio, quando foi encerrado o atendimento a pacientes com o novo coronavírus. "Até mesmo com o uso de produtos químicos, tudo no sentido de realmente agilizar, preparar a unidade e garantir um atendimento com toda a segurança. O paciente pode buscar assistência sem a preocupação de estar exposto a uma contaminação", destaca.

Ele conta que há, inclusive, uma ansiedade por parte das equipes médicas pelo dia 3 de maio, quando além dos dois programas, a unidade volta a atender as especialidades de cardiologia geral, cardiologia pré-operatório, pneumologia, gastroenterologia, dermatologia, neurologia clínica, hematologia, alergologia adulto, hepatologia, psiquiatria, infectologia, plástica, ortopedia, anestesiologia, ginecologia, mastologia, otorrinolaringologia, oftalmologia, pediatria geral e clínica médica. Para esses atendimentos, é preciso que o encaminhamento seja feito pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS) - exceto para quem já é paciente da Poli Metropolitana.

Luiz Fausto afirma que inclusive o "Pós-Covid" e o "Pré-Operatório Rápido" acabam demandando as especialidades, pois ambos tem a triagem como metodologia. "Tudo começa com um check-up, que é quando a gente descobre que existe algum problema que pede a assistência de uma das especialidades. Estamos ansiosos para o retorno total, com os 20 mil atendimentos e 120 mil exames por mês que já realizávamos, ajudando as pessoas a recuperarem a saúde", confessa.

Expectativas - Terezinha de Jesus Silva foi com a filha pela segunda vez à Policlínica também hoje, em busca de tratamento para os sintomas que restaram depois da Covid-19, mesmo recuperada há mais de três meses.

"Muita dor de cabeça, dor no peito, nas costas e o cansaço que a gente fica sentindo muito, até de falar, de andar é horrível", relata, listando os sintomas com os quais convive. "Fizemos exames de sangue, consultas, e agora queremos fazer tudo direitinho como o médico orientar para melhorar de todo esse mal estar", anseia ela, que saiu da unidade já com o retorno marcado.

Sobre

O programa "Triagem Pós-Covid", criado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e lançado no dia 24 de novembro de 2020, em funcionamento na Policlínica Metropolitana, é voltado a pacientes que ainda apresentam sequelas da Covid-19 e precisam de acompanhamento para a plena recuperação da doença.

Já o programa "Pré-Operatório Rápido", iniciativa do Governo do Estado em andamento desde outubro de 2020, tem como estratégia diminuir a fila de espera das cirurgias eletivas, sem impactar na demanda de urgência das unidades. Oferta consultas com cardiologistas e anestesiologistas, exames de laboratório, eletrocardiograma, ecocardiograma, raio-x e espirometria. A avaliação do risco cirúrgico ocorre no mesmo dia, dando agilidade para cirurgias eletivas na rede hospitalar estadual.

Serviço:

Programas Pré-operatório Rápido e Triagem Pós-Covid

Documentos necessários:

- Pós-Covid

CPF e RG ou documento equivalente com foto (frente e verso)
Comprovante de residência atualizado
Cartão Nacional SUS

- Pré-operatório

CPF e RG ou documento equivalente com foto (frente e verso)
Comprovante de residência atualizado
Cartão Nacional SUS Encaminhamento médico de consultas, exames ou solicitação da cirurgia

Dias de funcionamento: segunda a sexta
Horário de funcionamento: 7h às 19h
Telefone: 98521-5110 (Apenas WhatsApp)
E-mail: agendamento.polimetrpolitana@issaa.org.br
Site: www.polimetropolitana.org.br.

Fonte: Agência Pará www.agenciapara.com.br/noticia/27813/